troca icon
0 (0)

Como escolher agulhas de acupunctura? Parte I

2018-08-03

Que medida de agulha devo escolher?

Guias Panda | Agosto 2018
Para um terapeuta que esteja a iniciar a sua prática de acupunctura, a escolha da agulha certa para um determinado tratamento pode não ser uma tarefa fácil.
 
Os vários tipos de agulhas disponíveis no mercado, a diversidade de materiais utilizados na sua produção e a enorme diferença de qualidade que pode exisitir entre as marcas, são algumas variáveis que devem ser ponderadas e que acabam por tornar essa tarefa de escolha algo complicada.

Neste primeiro de uma série de vários posts criados para o (a) ajudar a escolher as agulhas mais adequadas, vamos debruçar sobre a questão das diferentes medidas de agulhas existentes no mercado e dar-lhe algumas pistas para responder à pergunta: Que medida de agulha devo escolher?
 
A identificação de qualquer agulha de acupunctura passa necessariamente pela especificação das suas medidas, que são por norma expressas através de dois parâmetros: o diâmetro e o comprimento, ambos em milímetros (mm).
 
Por exemplo, uma agulha de 0.25 x 30 mm significa que tem 0,25 mm de diâmetro (de espessura) e 30 mm de comprimento (sem contar com o cabo da agulha).
 
É essencial ter em conta o impacto que cada um destes parâmetros tem, quer na perspectiva do paciente que recebe o tratamento, quer na perspectiva do profissional que manuseia a agulha.

Assim, para o paciente, quanto menor o diâmetro (espessura) da agulha, menor a sensação de desconforto e/ou da dor provocada pela inserção da agulha. Por outras palavras, melhor será a sua experiência no tratamento. 

Enquanto que na perspectiva do terapeuta, quanto maior o diâmetro da agulha, mais fácil será o acto da inserção, uma vez que reduz o risco e o inconveniente de a agulha se dobrar durante o tratamento.

É precisamente no equilíbrio entre estes dois factores que a escolha da agulha certa para cada tipo de tratamento deverá ser feita. 
 
Exemplificando com algumas das medidas mais utilizadas na prática terapêutica, nomeadamente: 
 
  • 0.16 x 10 mm, 0.16 x 15 mm;
  • 0.25 x 25 mm, 0.20 x 25 mm, 0.22 x 25 mm, 0.30 x 25 mm;
  • 0.30 x 40 mm, 0.30 x 50 mm, 0.30 x 75 mm. 
 
Analisaremos de seguida cada uma dessas medidas numa óptica comparativa:
 
0.16 x 10 mm
 
Esta é uma das agulhas simultaneamente mais finas e mais curtas que se pode encontrar no mercado actualmente. A combinação destas duas características torna-a especialmente indicada para pacientes muito sensíveis à dor e ao mesmo tempo, adequada para ser utilizada nas zonas mais sensíveis do corpo.  

A sua reduzidíssima espessura faz com que a sensação de dor no paciente seja praticamente inexistente. E por ser muito curta, ela pode ser manuseada e inserida com maior precisão e rapidez do que as agulhas de comprimentos superiores.

Daí que seja, a par com as de 0.16 x 15 mm, ou mesmo as de 0.13 x 7 mm (!), uma das medidas de eleição na prática da acupunctura facial e da auriculoterapia.
 
0.25 x 25 mm
 
É seguramente a medida mais popular junto dos praticantes de acupunctura no nosso país dada a sua versatilidade. Trata-se de uma agulha que pode ser utilizada em várias partes do corpo e é especialmente conveniente para inserções pouco profundas e/ou superficiais.
 
Os terapeutas mais experientes utilizam muitas vezes como alternativa, a agulha 0.30 x 25 mm, que sendo apenas ligeiramente mais grossa, tem em contrapartida a vantagem de ser mais fácil de inserir.

Para esse mesmo comprimento (25 mm), existem também agulhas mais finas, tais como a 0.20 x 25 mm e a 0.22 x 25 mm, que têm a vantagem de provocar menor sensação de dor no paciente, mas exigem no entanto maior destreza no acto da inserção. 
  
0.30 x 40 mm
É também uma medida muito popular pela sua versatilidade, sendo no entanto a sua utilização mais virada para as partes do corpo onde estão localizados os grupos musculares de maior densidade ou em pontos de acupunctura que exijam maior profundidade na inserção.
 
Tratando-se de uma agulha mais comprida do que as outras referidas acima, é aconselhável optar-se por diâmetros não inferiores a 0.30 (mm), uma vez  que com agulhas mais finas incorre-se no risco de estas poderem se dobrar com alguma facilidade aquando da inserção. Facto que pode ser no entanto ser minimizado pela experiência, pela perícia e pela técnica apurada por parte do terapeuta.

Adicionalmente, esse risco pode também ser minimizado escolhendo agulhas de melhor qualidade, ou seja, com pontas mais bem polidas que facilitem o deslizamento mais suave da agulha no acto da inserção.
 
Como alternativa, muitos profissionais acabam por optar pelas agulhas 0.35 x 40 mm, que embora ligeiramente menos finas que as 0.30 x 40 mm, podem no entanto reduzir o risco de a agulha se deformar.

Claro que existirá nesta escolha a desvantagem de poder eventualmente aumentar a sensação de desconforto ou de dor no paciente por se tratar de uma agulha com uma espessura maior. Trata-se de um exercício de equilíbrio e de trade off nem sempre fácil de se fazer.
 
Na família das agulhas de 0.30 (mm) de diâmetro, existem ainda outras opções de maior comprimento, nomeadamente as 0.30 x 50 mm e 0.30 x 75 mm, especialmente indicadas para inserções com profundidade para além dos 3,5 cm, sendo a última utilizada normalmente para inserções nas zonas do corpo à volta das nádegas.
 
Como nota final, é de referir que as medidas das agulhas não se esgotam nas que foram mencionadas neste post. Muito pelo contrário, como de resto, pode constatar clicando sobre cada uma das nossas marcas:

Huan Qiu
Tewa
Power 100
Seirin
Ener Qi
 
Em boa verdade, a partir de um determinado nível de experiência e de conhecimento, a escolha da agulha certa passa também a ser uma questão de preferência pessoal do terapeuta.